abissinio-gatobras

Raça

TURKISH ANGORA

• Outros nomes

Angorá e Ankara

bandeira-eua.png

• Origem

Turquia

faixa.png

• Tamanho

Pequeno a médio porte

• Peso adulto

(peso aproximado para mais ou menos)

3,5 a 5 kg

Fêmea -

Macho -

5 a 7 kg

faixa.png

• Personalidade

A raça Turkish Angora é Inteligente, alegre, afetuosa e leal.

faixa.png

RESUMO HISTÓRICO

O primeiro registro escrito do gato angorá turco como conhecemos hoje é creditado ao naturalista francês De Buffon, pois no final dos anos 1700, ele mencionou uma raça de gatos com pelos longos que se originou na Turquia. Os geneticistas felinos acreditam que a raça pode ter evoluído dos gatos Manul que foram domesticados pela primeira vez pelos povos tártaros.

Nota-se que gatos de pelo comprido chegaram à Grã-Bretanha e à França no final dos anos 1500, vindos da Rússia, Pérsia e Turquia. É provável que alguns deles fossem angorás turcos.

No final dos anos 1700, os gatos angorás turcos chegaram à América. Os primeiros criadores de gatos misturavam legítimos gatos angorás com outras raças de pelo comprido, incluindo russos de pelo longo e persas.

Em pouco tempo, tantos cruzamentos ocorreram que os gatos angoras de raça pura tornaram-se impossíveis de encontrar fora da Turquia, onde a raça é considerada um tesouro nacional.

Em 1917, o governo da Turquia e o Zoológico de Ancara decidiram desenvolver um programa de criação destinado a preservação da raça do gato Angorá. Nota-se que os gatos angorás com olhos estranhos - ou seja, um olho azul e um olho âmbar - foram o foco principal do programa de criação.

Em 1962, um coronel do Exército dos EUA chamado Walter Grant estava de passagem na Turquia. Sua esposa, Liesa Grant, exportou um par de gatos angorás turcos para os Estados Unidos. A partir a raça começou ter grande expansão, e em 1979, a The Internacional Cat Association (TICA), reconheceu a raça Turkish Angora para fins de exposições.

faixa.png

PADRÃO

• Ombro: deve ser da mesma largura do quadril.

• Tronco: longo.

• musculatura: firme.

• Peito: estreito e ligeiramente mais alto que o ombro.

• Pelagem: semilonga com leve subpelo; textura sedosa.

• Cor da pelagem: o angorá turco mais tradicional vem em branco, no entanto outras cores são aceitáveis como o black, ebony, red, orange, blue, gray, lavender, silver nos padrões sólido, bicolor, tricolor, tabby e calico.

​​​• Formato dos olhos: grandes com forma de noz (fruta), expressão aberta e Inclinados ligeiramente para cima.

• Cor dos olhos: âmbar, verde, azul ou em um par heterocromático (azul/âmbar ou azul/verde). Nota: não há relação entre a cor dos olhos e a cor da pelagem, mas uniformidade e clareza são primordiais.

• Orelhas: grandes e largas na base; tufadas e ligeiramente pontiagudas.

• Focinho: deve ser uma continuação das linhas suaves da cunha.

• Queixo: firme e suavemente arredondado com ponta perpendicular ao nariz.

• Pescoço: fino e de médio comprimento.

• Pernas: pernas traseiras mais longas que as dianteiras.

• Patas: pequenas, ovais e em proporção com as pernas. Nota: são desejáveis tufos nos dedos.

• Cauda: longa em proporção ao corpo que se afunila a partir da base larga para a extremidade estreita; pluma cheia.

faixa.png

OUTRAS INFORMAÇÕES

faixa.png

• A raça Turkish Angora possui três lendas. A mais famosa, refere-se a uma gata que viveu com o profeta Maomé e costumava dormir na manga do seu manto. Um dia ao se levantar, Maomé pediu que cortassem a manga do manto para que a felina descansasse tranquilamente; a segunda retrata a reencarnação do fundador da República Turca, Mustafa Kemal Ataturk, na forma de um gato branco com olhos ímpar; e a terceira relata que o sucessor de Ataturk seria descoberto após a mordida do seu tornozelo por um gato branco.

• A raça Turkish Angora é considerada um tesouro nacional da sua terra natal, a Turquia.

• A partir de 1979, a raça Turkish Angora foi aceita para exposições TICA.

GATOBRAS